domingo, 19 de outubro de 2014

PÃO DE FUBÁ

Ingredientes:

1kg de farinha de trigo
3 xícaras de chá de Fubá (360 g)
1 xícara das de chá de açúcar
1 xícara das de chá de óleo de milho 
(pode usar outro)
1 colher das de sopa de sal
1 colher das de sopa de erva doce
30 g de fermento fresco
3 ovos de tamanho médio
500 ml de água morna
500 ml de leite morno

Preparo:

Numa bacia misture 7 xícaras de chá da farinha
(reserve o restante) 
de trigo, o fubá o açúcar, o sal e a erva doce.

Misture bem e faça uma depressão no meio 
da mistura

No liquidificador, coloque o leite morno, a água 
morna, o óleo, os ovos e o fermento e bata 
bem até espumar

Coloque o conteúdo do liquidificador no 
meio da farinha que está na  bacia e com a 
mão vá misturando aos poucos, sempre puxando 
um pouco de farinha para o centro
e misturando aos poucos tudo.. 
 



Assim que estiver bem misturado, trabalhe a 
massa mole esticando bem para
os lados, e ao mesmo tempo vá colocando 
o restante da farinha de trigo reservada. 
Assim que estiver tudo bem misturado,  passe a 
massa para a mesa ou um bancada
e sove bem esta massa por uns 5 minutos 
até ficar bem lisa mas ainda grudando nas mãos, 
unte ou enfarinhe as mãos
para trabalhar com a massa. 



Devolva a massa para a macia enfarinhada, 
cubra com um plástico e por cima uma toalha 
de mesa dobrada e
deixe crescer até dobrar de volume.



Assim que a massa estiver crescida, modele 
os pão no formato que desejar e coloque 
em formas untadas e enfarinhadas,  pincele com 
uma gema de ovo diluída e um pouquinho 
de água ou café coado bem forte e leve ao forno 
pré aquecido na temperatura
de 180º por 45 minutos ou até estarem 
bem dourados.





 








BOLO FAROFA COM BANANA


Ingredientes:

2 xic. das de chá de farinha de trigo
1 xíc. das de chá de amido de milho
1 xic. das de chá de açuçar
1 colher das de sopa bem cheia de fermento em pó
150 gramas de margarina para culinaria 
1 colher das de sopa de margarina para untar a forma.
1 xic das de chá de leite
3 ovos.

Recheio:

6 bananas grande
Canela em pó é opcional

Modo de Preparo: 

Unte com margarina e enfarinhe uma forma redonda 
media de aro removível e reserve.
Numa tigela coloque a farinha de trigo, o açúcar, 
o fermento em pó , 
150 gramas de margarina 
e trabalhe com as mãos fazendo uma farofa 
tipo para cuca.
 Corte 3 bananas em rodelas

Corte 3 bananas no sentido do comprimento
 E disponha no fundo da forma já untada e enfarinhada
e se quiser coloque açúcar e canela antes da banana

Por cima da camada de banana coloque uma camada
de farofa

Por cima da farofa, disponha as bananas 
cortadas em rodelas

Por cima da banana, coloque o restante da farofa

No liquidificador bata o leite e os ovos
e coloque por cima do bolo

Leve para assar ja com o forno pré aquecido
por mais ou menos 45 minutos, na temperatura
de 180º
Bolo já assado, retire da forma e deixe esfriar.
Ele pode ficar assim, sem cobertura, ou
voce pode usar a cobertura que desejar, eu coloquei
 marshmallow por que tinha um restinho congelado
e usei um pouco de granulado choco balls
A cobertura ficou bem durinha.



MINHA AMARÍLIS VERMELHA


AMARÍLIS VERMELHA

Características:

A Amarílis, que é também conhecida por Açucena, 
Amarílis ou Flor da Imperatriz, é uma planta de 
cerca de meio metro de altura muito apreciada 
para fins ornamentais graças a possuir flores 
bem grandes e de diversas cores como rosa, laranja, 
branco, vermelho e multicolorido (plantas que 
foram cruzadas entre as cores citadas). 
Sua floração geralmente é anual e ocorre 
principalmente durante o começo do verão.

Como Cuidar:

Embora seja uma planta que necessita de 
muito sol para crescer saudável e pode ser 
criada a pleno sol, durante sua floração 
pode ter as pétalas queimadas pelo sol a pino e 
assim não ficar tão vistosa, aconselha-se 
posicioná-la em lugares que era receba muito 
sol o dia todo, porém que esteja coberta 
do sol do meio dia.

É uma planta que não tolera bem variações 
climáticas extremas durante o inverno, logo 
durante invernos rigorosos tenha o cuidado 
de garantir que ela tome bastante sol, 
porém pouco vento gelado.

Aconselha-se utilizar solo fértil e de boa drenagem, 
os fungos criados pelo excesso d’água, 
mesmo que poucos, causam apodrecimento 
dos botões das flores, e em situações graves, 
podem matar a planta. 
Utilize terra vegetal adubada misturada a 
areia grossa ou outras estruturas de boa 
drenagem (como lascas de madeira) para 
melhorar a drenagem dos vasos.

Do lixo para o vaso, pois achamos 
o bulbo no lixo da rua.





























A surpreendente Amarílis

O bulbo fica ali durante meses debaixo da terra. 
Parece que secou e não dá mais sinal de vida....
de repente, conforme o inverno vai embora e 
a primavera recebe seus dias mais quentes, 
dá para perceber que surge o primeiro verde das hastes. 
Daí para frente, durante o restante da primavera 
e todo o verão podemos assistir, numa explosão 
de flores, a recompensa dos meses em que o bulbo 
ficou repousando na terra e armazenando energia.

Essa é a amarílis – uma flor tipicamente tropical 
que encantou os europeus a ponto de inspirar 
por lá a criação de vários híbridos.

O espetáculo do renascimento da planta pode 
se repetir por muitos anos – há casos de bulbos 
capazes de repetir este ciclo por cerca de 10 anos, 
dependendo dos cuidados que recebem no cultivo. 
E o resultado aparece sempre na forma de flores 
exuberantes – algumas chegam a medir 20 cm 
de diâmetro em cores diversas, que vão do branco 
ao vermelho intenso, passando pelo rosa, 
coral e lindos degradês e mesclas. 

Conhecida popularmente como açucena, 
flor de açucena, flor-da-imperatriz, a amarílis 
também pode ter seu período de florescimento 
prolongado em regiões onde o inverno não é muito rigoroso.

Sucesso no cultivo
Para ter sucesso no cultivo das amarílis, o primeiro 
passo é adquirir bulbos de boa procedência. 
Depois, é só seguir algumas regras básicas 
e aguardar o espetáculo.

Acompanhe as dicas:

* Escolha um vaso com pelo menos 15 a 20 cm 
de diâmetro, pois os bulbos são grandes. 
Se for plantar em canteiros ou jardineiras, 
lembre-se de manter 25 cm de espaçamento 
entre os bulbos;
* Prepare um substrato com boa drenagem. 
Existem no mercado produtos já prontos, 
ideais para canteiros, vasos e floreiras;
* Coloque o substrato para cultivo dentro do vaso, 
posicione o bulbo deixando a ponta (também conhecida 
como “pescoço”) para fora e aperte bem 
a terra ao redor do bulbo;
* A dica para as regas é bem simples: nos meses 
frios, uma vez por semana e nos meses quentes, 
de duas a três vezes,
* Mantenha em planta num local com bastante 
claridade. 
O cultivo na sombra gera hastes florais esticadas, 
frágeis e quebradiças.
* Para adubação recomenda-se composto orgânico. 
Na falta dele, pode-se utilizar NPK 10-10-10 
ao redor dos bulbos, sem deixar encostar.
* Depois de cada floração é recomendável 
cortar as hastes e as folhas amarelas. 
Neste momento, pode-se retirar o bulbo da terra 
e extrair os possíveis bulbilhos que se formam ao redor 
– eles podem ser plantados e gerar novas plantas. 
* O bulbo principal deve voltar para a terra 
e continuar a receber os mesmos cuidados 
relativos às regas e adubação. 
Isso vai garantir a energia suficiente para 
a produção de um novo espetáculo!

Como ela se desenvolve:

1. Depois de meses repousando, o bulbo começa 
a brotar ao sinal dos primeiros dias quentes 
da primavera.
2. Após cerca de 10 a 12 dias surgem as 
primeiras hastes florais, seguidas das folhas.
3. O crescimento é bem rápido – após cerca 
de 25 a 30 dias, as flores já começam a se abrir.
4. A floração é intensa e para continuar sadia, 
a planta deve ser mantida em local bem iluminado.

Ficha da Planta:

Nomes Populares: Amarílis, açucena, flor de açucena, 
flor-da-imperatriz

Nome Científico: Hippeastrum hybridum

Família: Amarilidáceas

Origem: Brasil, Peru e México
Folhagem: folhas lanceoladas, verdes, medindo 
de 30 a 60 cm

Floração: ocorre de outubro a dezembro, 
produzindo haste floral com duas, quatro 
ou oito flores grandes, nas cores vermelha, 
rosa, coral, mesclada e branca, dependendo 
da variedade

Solo ideal: arenoso e bem drenado

Luminosidade: sol pleno e meia-sombra

Regas: até 3 vezes por semana no verão e uma 
vez por semana no inverno

Propagação: multiplicação de bulbos

Adubação: de preferência orgânica, mas pode-se 
aplicar NPK 10-10-10